Rio Grande do Norte

Alunos da rede estadual vencem “Desafio Criativos da Escola” e ganham viagem

Uma iniciativa protagonizada por alunos do Centro Estadual de Educação Profissional Dr. Ruy Pereira dos Santos (CEEP), localizado em São Gonçalo do Amarante (RN), está ultrapassando os limites da escola e ganhando o mundo. Intitulada de Projeto Missão Galo a iniciativa, integralmente realizada pelos estudantes do centro, foi um dos projetos vencedores do “Desafio Criativos da Escola 2019”, cujo prêmio é uma viagem à Roma, na Itália.

Ação vinculada ao Design for Change, movimento internacional presente em 65 países, o “Desafio Criativos da Escola” tem por objetivo encorajar educadores e educandos (do ensino fundamental I e II ao ensino médio) a transformarem suas realidades por meio de projetos que envolvam a educação, e já contemplou mais de 2,2 milhões de crianças e jovens no mundo todo.

Concorrendo com 1.443 propostas oriundas de diversos estados do Brasil, o Missão Galo está entre um dos sete selecionados brasileiros à vigem, que acontece em dezembro deste ano e contará com a presença do líder mundial da Igreja Católica, o Papa Francisco.

Sobre o Missão Galo

O Projeto Missão Galo surgiu há pouco mais de um ano e nasceu de uma inquietação dos próprios alunos que, no caminho feito diariamente à escola, observaram o monumento de 12 metros, de um galo branco, mas não sabiam o seu significado ou o porquê de estar instalado em um ponto central da cidade.

“O monumento sempre nos rendeu uma curiosidade e foi basicamente essa curiosidade que nos motivou a iniciar nossas investigações. E com isso, nós começamos a pesquisar sobre a história do município, entrevistamos os moradores para saber o que eles sabiam sobre o monumento. Começamos a juntar as peças e assim conseguimos resgatar a história que até então era desconhecida por grande parte da população da cidade”, conta a aluna e integrante do Projeto Missão Galo, Maria Bruna Acciole, de 17 anos.

A iniciativa, que começou com um pequeno grupo de estudantes, foi ganhando adeptos e hoje conta com oito integrantes, todos alunos do 3º ano do ensino médio do CEEP.  Depois das pesquisas iniciais, consultando fontes como moradores antigos da cidade, os alunos descobriram que o monumento instalado no caminho da escola é inspirado em antigas “quartinhas”, jarrinhas de barro em formato de galo que também eram utilizadas como objeto de decoração.

Essas quartinhas foram adaptadas ao longo dos anos, ganhando, inclusive, a contribuição de uma artesã local, Dona Neném, que decorou o galo com flores vermelhas em adornamento. A partir dessa descoberta, os integrantes do Missão Galo entenderam que o galo se tratava de um item folclórico e cultural de São Gonçalo e decidiram, por meio de um jogo lúdico de tabuleiro, levar a descoberta à população local.

“Nesse momento nós percebemos que não conhecer o significado do galo significava que a população não conhecia a própria história da cidade. Então, nós fizemos um jogo no qual os alunos percorrem um jogo de tabuleiro e vão conhecendo mais sobre a história da cidade”, destaca um dos professores que orientadores dos alunos do projeto, Wesley Petrosa.

A metodologia para disseminar o resgate da história deu tão certo que o Missão Galo já visitou três escolas municipais, nas quais foram realizadas oficinas para implantação do jogo. Agora, a o objetivo é levar a ideia às demais escola da cidade.

Viagem

Além do Missão Galo, outros seis projetos brasileiros foram selecionados para viagem, oriundos dos seguintes estados:  Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Sul, Amazonas, Minas Gerais e Bahia. Cada um desses projetos deve indicar até três alunos e um educador para realizarem a viagem.

No itinerário em Roma, os estudantes participarão de uma conferência global, chama da “Eu posso”, que reunirá jovens e adolescentes de 43 países diferentes. Além disso, também estão previstos dois dias de passeios turísticos aos alunos que realizarem a viagem. No caso do Projeto potiguar, as alunas indicadas a irem à Itália são Maria Clara Oliveira, Maria Bruna Acciole e Patrícia Camila da Silva, que serão acompanhadas pelo professor Wesley Petrosa.

Maria Bruna explica que, apesar de nem todos poderem participar da viagem, o grupo inteiro está ansioso pelo momento. Além disso, para os estudantes, a realização do projeto Missão Galo significa uma experiência que acarretará valores aos alunos e à cidade.

“A felicidade já começou quando descobrimos que éramos finalistas! Estamos muito ansiosos, pois esse projeto é muito importante. Foi por meio do Missão Galo que nós, enquanto alunos, assumimos responsabilidades extra curriculares e evoluímos tanto pessoalmente quanto profissionalmente. E isso mudou nosso olhar como cidadãos de São Gonçalo. Agora nós conhecemos muito mais o município onde moramos”, ressalta a estudante.

Além da viagem cada escola premiada ganhará 1.500 reais, que devem ser aplicados no desenvolvimento e expansão do projeto, e 500 reais aos educadores envolvidos.