A notícia na íntegra | por Gláucia Lima

quarta-feira

1

novembro 2017

0

COMENTÁRIOS

Autor de atentado em Nova York é formalmente acusado de terrorismo

Por , em Mundo

2017-11-01t223753z_1_lynxmpeda03ve_rtroptp_3_eua-acusacoes-ataque-ny

O imigrante uzbeque que ontem atropelou e matou oito pessoas em Nova York foi formalmente acusado nesta quarta-feira (1º) de fornecer recursos e material de apoio ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI), segundo a Justiça dos Estados Unidos. A informação é da EFE.

O  responsável pelo atentado terrorista é Sayfullo Saipov, que chegou aos EUA em março de 2010, favorecido por um programa de concessão de vistos a cidadãos de países com baixo histórico de emigrantes para o país norte-americano.

De acordo com os documentos divulgados pela Procuradoria Federal do distrito sul de Nova York e apresentados à juíza responsável pelo caso, Barbara C. Moses, Saipov também é acusado de violência e destruição com veículo.

As acusações, descritas pela agente do FBI Amber Tyree, sustentam que Saipov, depois de cometer o atentado, saiu do veículo que conduzia gritando “Alá é grande”, em árabe. Perto do local, e dentro de uma bolsa preta, foram encontradas uma carteira de motorista do estado da Flórida em nome de Saipov e três armas brancas.

Dentro do veículo havia dois telefones celulares que Saipov supostamente utilizou, e perto da caminhonete um documento com um texto em árabe e em inglês, que inclui termos que as autoridades atribuem aos usados por seguidores do EI.

Nas declarações que fez à polícia, Saipov disse que seus atos foram inspirados por vídeos do EI e acrescentou que estava há cerca de um ano planejando um ataque nos EUA. Há dois meses, segundo o documento, ele “decidiu usar uma caminhonete para causar um dano máximo contra civis”.

O documento também indica que Saipov escolheu a data de 31 de outubro pensando em causar um maior número de vítimas devido ao tradicional desfile de Halloween que acontece em Nova York.

“Durante o interrogatório, Saipov pediu que fosse colocada uma bandeira do EI no quarto do hospital onde está e afirmou que sentia-se bem pelo que tinha feito”. Um dos telefones celulares apreendidos contém vídeos distribuídos pelo EI, assim como 3.800 imagens, muitas das quais parecem ser propaganda desse grupo terrorista.

Deixe seu recado através do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *