Economia

Dólar opera em alta nesta sexta diante de noticiário político do Brasil

a4ca948e-3c68-4d27-a153-cd39a1c0c7a3

O dólar chegou a subir quase 2% ante o real no início dos negócios desta sexta-feira (25), diante do noticiário político depois que o presidente Michel Temer foi citado em depoimento à Policia Federal pelo ex-ministro Marcelo Calero, no caso que envolve o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima.

Às 11h49, a moeda norte-americana subia 1,05%, cotada a R$ 3,4296, depois de bater R$ 3,4694 na máxima do dia, com valorização de 2,22%. Veja a cotação.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, alta de 0,919%, a R$ 3,4251
Às 9h30, alta de 1,59%, a R$ 3,448
Às 9h39, alta de 1,98%, a R$ 3,461
Às 10h19, alta de 1,27%, a R$ 3,437
Às 10h39, alta de 0,95%, a R$ 3,4264
Às 11h09, alta de 1,05%, a R$ 3,4296
Às 11h19, alta de 1,3%, a R$ 3,4382

“Está havendo uma crise política que, caso se alastre, vai dificultar a aprovação de reformas, o que pega no mercado”, comentou o operador da Ouro Minas Corretora, Maurício Gaioti.

Caso Geddel

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou em depoimento à Polícia Federal que Temer o pressionou para encontrar uma “saída” para o caso de uma obra de interesse do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, ampliando uma crise que inicialmente se restringia a Geddel e agora ameaça respingar no presidente.

Nesta manhã, Geddel pediu demissão, citando sofrimento da família e “limite da dor”.

A arrancada desta manhã levou o dólar para perto de R$ 3,47, nível considerado perigoso pelos profissionais do mercado e que pode levar o Banco Central a atuar ainda neste pregão, segundo a Reuters.