Concursos

Governo do RN publica edital de concurso público para a Polícia Militar

56a0dbdf3438a0a4711e0120db05f423

O Governo do Rio Grande do Norte publicou nesta terça-feira, 16, no Diário Oficial do Estado (DOE) o edital do concurso público para praças da Polícia Militar.  São disponibilizadas 938 vagas de nível médio para homens e 62 para mulheres. As inscrições serão realizadas a partir desta quarta-feira, 17, através do site www.idabe.org.br e se encerram no dia 8 de fevereiro. A taxa de inscrição custa R$ 100.

O concurso será realizado pelo Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (IBADE) e as provas serão realizadas no dia 4 de março de 2018. Os salários serão de R$ 954 durante a formação e R$ 2.904 após o ingresso.

Para investidura no cargo de Praça da Polícia Militar, o candidato deve ter, entre outros requisitos, no mínimo, 19 anos e, no máximo, 30 anos de idade, completos até o dia 31 de dezembro do ano da inscrição do concurso público, além de possuir, no mínimo, 1,65m de altura, se candidato do sexo masculino, e 1,60, se candidata do sexo feminino.

O concurso público será composto por provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, com realização prevista para o dia 04 de março de 2018, contendo 80 questões com disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Raciocínio Lógico, Geografia do Brasil e do Rio Grande do Norte e Noções de Direito Constitucional, Direito Penal, Direito Penal Militar, Legislação Extravagante, Legislação Específica da Polícia Militar e de Informática.

Além do exame intelectual, os candidatos aprovados, observados os limites quantitativos do edital (1.876 para o sexo masculino e 124 para o sexo feminino), passarão por exames de saúde, investigação social, avaliação de condicionamento físico e Curso de Formação.

Na última sexta-feira, 12, o Governo informou a suspensão dos concursos da PM e da Polícia Civil. De acordo com a Secretaria de Administração e dos Recursos Humanos do Estado (Searh), o concurso da Polícia Civil não vai acontecer por falta de previsão orçamentária e o da PM não tinha data para acontecer porque o processo está aguardando definição por parte do governo.

De Fato