A notícia na íntegra | por Gláucia Lima

terça-feira

13

março 2018

0

COMENTÁRIOS

Juízes federais do RN participam de protesto por manutenção de auxílio

Por , em Geral

Justiça-Federal-4-750x500

Os juízes federais do Rio Grande do Norte participam nesta quinta-feira, 15, de uma paralisação para pedir reajuste dos salários e pela manutenção do auxílio-moradia. As atividades da Justiça Federal (JFRN) ficarão restritas às audiências de urgência.

Ao todo, o Rio Grande do Norte tem 25 juízes federais. Durante a paralisação, que foi programada pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), os magistrados irão participar de debates sobre a independência do poder judiciário no país. Eles irão atender apenas demandas de urgência e as que não podem ser remarcadas.

De acordo com a assessoria da Ajufe, os formatos das paralisações vão depender de cada regional. Em alguns casos, por exemplo, haverá leitura de um manifesto sobre a independência do judiciário. A entidade informa que serão feitos protestos para prejudicar o andamento dos trabalhos.

Em todo o país, os magistrados pedem a revisão salarial para a categoria, que não sofre reajuste desde 2015. Segundo a Ajufe, a perda acumulada é de 40%. Além disso, a categoria pede a manutenção do auxílio-moradia. A Ajufe também critica a tramitação do projeto de alteração da lei de abuso de autoridade.

Em janeiro, a folha salarial bruta dos magistrados federais do Rio Grande do Norte somou R$ 1.589.518,70. A média salarial foi de R$ 61 mil. Com o pagamento de vantagens, como o auxílio-moradia, a JFRN consumiu em janeiro R$ 140 mil.

Atualmente, o Supremo Tribunal Federal (STF) discute o pagamento de auxílio-moradia a juízes. A análise se vale pelo julgamento do ministro Luiz Fux, de 2014 , que estendeu o pagamento do auxílio-moradia, no valor de R$ 4.378, a todos os juízes do País.

Os juízes federais do Rio Grande do Norte participam nesta quinta-feira, 15, de uma paralisação para pedir reajuste dos salários e pela manutenção do auxílio-moradia. As atividades da Justiça Federal (JFRN) ficarão restritas às audiências de urgência.

Ao todo, o Rio Grande do Norte tem 25 juízes federais. Durante a paralisação, que foi programada pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), os magistrados irão participar de debates sobre a independência do poder judiciário no país. Eles irão atender apenas demandas de urgência e as que não podem ser remarcadas.

De acordo com a assessoria da Ajufe, os formatos das paralisações vão depender de cada regional. Em alguns casos, por exemplo, haverá leitura de um manifesto sobre a independência do judiciário. A entidade informa que serão feitos protestos para prejudicar o andamento dos trabalhos.

Em todo o país, os magistrados pedem a revisão salarial para a categoria, que não sofre reajuste desde 2015. Segundo a Ajufe, a perda acumulada é de 40%. Além disso, a categoria pede a manutenção do auxílio-moradia. A Ajufe também critica a tramitação do projeto de alteração da lei de abuso de autoridade.

Em janeiro, a folha salarial bruta dos magistrados federais do Rio Grande do Norte somou R$ 1.589.518,70. A média salarial foi de R$ 61 mil. Com o pagamento de vantagens, como o auxílio-moradia, a JFRN consumiu em janeiro R$ 140 mil.

Atualmente, o Supremo Tribunal Federal (STF) discute o pagamento de auxílio-moradia a juízes. A análise se vale pelo julgamento do ministro Luiz Fux, de 2014 , que estendeu o pagamento do auxílio-moradia, no valor de R$ 4.378, a todos os juízes do País.

Deixe seu recado através do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *